Chegar a El Nido: Mais 6 horas num barco

By Rita Varandas - quarta-feira, maio 11, 2016

Backpacking nas Filipinas tem muito que se lhe diga. Como estamos em modo island hopping, deslocarmo-nos de um lado para o outro, normalmente, implica muitas horas de viagem - por mar ou terra. Procuramos sempre as melhores opções em termos de orçamento, porque 92 dias não são duas semanas de férias. Os luxos são sempre muito relativos :) 


A viagem de Coron a El Nido incluiu uma viagem de barco, sem ar condicionado, durante 6/7 horas (entretanto perdemos a noção do tempo) e mais uma hora de carrinha, desde a praia onde o barco atracou até ao centro de El Nido. Mas todos estes caminhos, por mais custosos que sejam, fisicamente, levam-nos sempre a bom porto.


Chegámos a El Nido às 18 horas, sem alojamento marcado, com as malas às costas e já desejosos de encontrar um tecto, uma cama limpa e sobretudo, um bom banho. O calor e a humidade colam-se à pele e por mais que lave as mãos, elas parecem sempre pegajosas (ossos do ofício!). 

Os dias de viagem são sempre os mais complicados, porque o cansaço começa a superar a paciência. O ritual já está bem delineado: percorremos as ruas que nos parecem mais centrais, batemos a várias capelinhas (hostels), regateamos preços e acabamos sempre por encontrar um bom hostel num sítio limpo e barato. As paisagens, o modo de vida e os diferentes hábitos - tão distintos dos nossos, fazem sempre esquecer quaisquer percalços que possam existir. 


Depois de uma boa noite de sono, o primeiro dia é de reconhecimento e planeamento dos próximos dias. Viajamos com mais um casal amigo e apesar das diferenças inerentes a cada pessoa, acertamos sempre as agulhas da bússola no mesmo sentido :)


No primeiro dia em El Nido alugámos duas motas e embarcamos numa espécie de tour à descoberta das melhores praias da zona. As estradas (ora de cimento, ora gravilha ou simplesmente areia) são um verdadeiro teste de resistência, sobretudo para os meninos que conduziram (bravo!). 




À noite e de regresso a El Nido, para aperitivo comemos uns ovos fritos que comprámos numa banca de rua. Verdadeiramente deliciosos e baratos, apenas 20 pesos cada, cerca de 40 cêntimos. 


Nas Filipinas, há uma iguaria típica, o Balut, que se vende em todas as esquinas e diz quem experimentou que é de comer e chorar por mais. Vejam a descrição sobre o que é... Nunca na vida!! O Sérgio e o Miguel dizem que vão experimentar. Quero ver para acreditar! :)
No próximo dia seguimos numa tour pelas ilhas de El Nido. 

  • Share:

You Might Also Like

1 comments

  1. Sérgio, dá-lhe nos ovinhos! São apenas embriões! 🔝👌 Abraço e Bjs para todos

    ResponderEliminar